quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Bar do Guarabira

Guarabira e o pernil no tempero para ir ao forno no dia seguinte
Tenho um amigo que passou um tempo na Holanda e preparou um jantar tipicamente brasileiro para seus colegas, no caso, estrogonofe. Ficou surpreso quando todos separaram a batata do arroz, escolhendo apenas um acompanhamento para comer com a carne picada. Eles não misturam dois ou mais tipos de carboidratos, ao contrário do Guarabira.

Nascido na Paraíba, como toda minha ascendência, abri um sorriso ao ver no FP macarrão, batata e arroz, além do feijão mulatinho e da rabada, exatamente como minha mãe faz. Misturar arroz com macarrão parece que é uma tradição desta parte do Brasil, que teve na escassez a base de sua cultura alimentar.

O Bar do Guarabira fica no Santo Cristo, bairro periférico do Porto Maravilha que possui grande quantidade de retirantes que migraram em busca de trabalho e se estabeleceram na região à revelia do poder público. Ao lado do Morro da Providência, primeira favela do país, cuja formação inicial foram os soldados do massacre de Canudos e suas famílias. Inicialmente era interessante ignorar essas populações, que forneciam mão-de-obra barata para a Zona Sul, mas agora a presença dessas pessoas começa a incomodar.

Rabada do Guarabira com arroz, feijão mulatinho, batata e macarrão
A 300 metros do bar fica o Rua City Lab, laboratório de experiências urbanas financiado pelo Odebretch com o objetivo de mudar a cultura popular do bairro para uma mais próxima da Zona Sul, branca, jovem e empreendedora. Uma tentativa de estender o Boulervard Olímpico até aquela área, trazendo junto investimentos em espigões comerciais envidraçados e condomínios de classe média-alta. Mas, como já disse aqui, esta experiência caminha para o fracasso. Ainda bem.

O Bar do Guarabira oferece muitos itens tipicamente nordestinos, como pimentas, biscoitos, rapaduras, feijões e farinha, além de um pequeno hortifruti e produtos de mercearia. Não possui petiscos no cardápio, apenas refeições carregadas na sustança durante todo o dia, com gente, inclusive, almoçando cabrito às dez da manhã.

O cabrito, aliás, vem de Xerém, trazido por um fornecedor especial. Aos sábados o vendedor de caranguejo passa na porta do estabelecimento, deixando a corda por vinte reais, preparada pelos clientes assíduos no leite de coco para acompanhar o Campari com Sprit, gelo e limão no domingo.

Caranguejo ao leite de coco, cortesia de um cliente assíduo da casa
Lá não existem petiscos no cardápio, mas o Guarabira pode prepara um prato com a carne do dia e aipim ou batatas cozidas por quinze reais. Ali tudo tem jogo.

Cabrito de Xerém com apim

Bar do Guarabira
O lugar é um primor, comida deliciosa, barata e ambiente pitoresco. Não vou dar o endereço, fica ao lado do antigo Mundial do Santo Cristo. Se quiser ir, me envia um e-mail que passo as coordenadas e vou junto.

Bar do Guarabira
Santo Cristo, ao lado do antigo Mundial
PF: R$12
Petisco (carne do dia): R$15
Preços de dezembro/16

4 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Meu amigo Guarariba meus parabens vc merece e bom ver os amigo crescer avança e nos propociona momentos bons como o que vc tem nos trazido no decorre das resenha feita em seu Bar. Mas uma vez PARABENS GUARARIVA

    ResponderExcluir
  3. Parabéns Guarabira... vc merece ... sucesso sempre

    ResponderExcluir
  4. Arrasou Guarabira. Vc merece 👏👏

    ResponderExcluir