quarta-feira, 24 de outubro de 2018

Mural da June


Diz o conto popular que se um sapo for jogado numa panela com água fervendo ele vai pular imediatamente para fora, mas se a água estiver fria e a temperatura aumentar aos poucos, o animal não perceberá a sutil mudança e morrerá cozido. Verdade ou não, é uma boa metáfora para a sociedade.

Estava lendo sobre o nazismo. Hitler não acordou um dia e resolveu matar milhões de judeus nas câmaras de gás de repente. Foi um processo lento e gradual que levou alguns anos. Poucas pessoas perceberam, Einstein foi dar uma palestra nos EUA e não voltou, mas a grande maioria só se deu conta tarde demais. Já não era mais possível fugir e os trens para os campos de concentração partiam lotados para execuções em massa.

June, a protagonista de The Handmaid's Tales, também não percebeu a tempo, apesar dos sinais aparecerem por todos os lados. Na segunda temporada ela ficou escondida no prédio de um antigo jornal e, para tentar entender como o país virou uma ditadura teocrática, montou numa parede um painel com reportagens que mostravam os indícios daquela realidade, separado por temas como 'militarização' e 'redução dos direitos civis'.

Estou vendo os sinais por todos os lados, por isso estou criando um mural como o da June, que será constantemente atualizado. O futuro deixou de ser uma esperança e virou uma ameaça. Tenho amigos que estão apanhando e sendo ameaçados de morte por eleitores do Bolsonaro. A água está esquentando, só espero fugir a tempo.

Mural da June

Ataques a minorias e grupos vulneráveis

Vamos acabar com coitadismo de nordestino, de gay, de negro e de mulher, diz Bolsonaro
Gays, negros e indígenas já sentem nas ruas o medo de um governo Bolsonaro

Militarização da segurança pública

Intervenção federal/militar no Rio

Nenhum comentário:

Postar um comentário